Please reload

Notícias Recentes

Intercâmbio leva estudantes à experiências na Espanha, nas férias

Já imaginou você estudante na Europa durante as férias? Então, possibilidade aberta no convênio entre as Faculdades Integradas Vale do Iguaçu (Uniguaçu) e Universidade Pablo de Olavide que chega ao 4º ano e possibilita que alunos possam passar um período na Espanha. No caso, acadêmicos do curso em Teorias Críticas em Direitos Humanos.

 

Pelo terceiro ano consecutivo, a Uniguaçu encaminhou estudantes e docentes, numa troca das férias de janeiro por conhecimento, adquirindo novas experiências no exterior. O convênio com a Universidade Pablo de Olavide, em Sevilha, na Espanha, foi fechado há quatro anos e leva, anualmente, acadêmicos de Direito para participarem, por um mês, do curso de Teorias Críticas em Direitos Humanos.

 

Sequência

Em 2017, o curso foi realizado entre os dias 9 de janeiro e 10 de fevereiro. Em cinco semanas intensas de aulas e palestras, três acadêmicas da Uniguaçu e três da faculdade Campo Real, fizeram intercâmbio cultural, tendo acesso a professores e autoridades de renome mundial.

 

O professor João Vitor Passuello Smaniotto, docente do curso de Direito da Uniguaçu e que acompanha os alunos na viagem, enaltece que o curso traz grandes experiências, além da troca cultural, ele terá uma nova visão sobre os assuntos já debatidos. “Ver assuntos sob novas perspectivas, com outros pontos de vista faz com que você aumente o poder de análise, o poder de crítica sobre esses assuntos estudados. Você tem outros professores que também pensam de maneira diferente do que pensam os professores daqui. Então você também tem a oportunidade de contrapor o que você aprendeu, com base em outros textos e outras análises”, comenta o professor.

 

Experiências

Durante o curso, as acadêmicas conviveram com alunos de todos os lugares da Europa, além de manter contato com alunos de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Rio Grande do Sul. Também tiveram contato com profissionais de diferentes áreas: juízes, desembargadores, promotores de justiça, advogados, profissionais de trabalhos sociais e da psicologia. “Aqui o aluno passa cinco anos estudando com alunos e professores de Direito. Lá, você leva um choque de realidade, porque durante cinco semanas, você tem um curso muito eclético. Professores vinculados à ciência política, sociologia, filosofia, todas as áreas de humanas”, relata João Vitor Passuello Smaniotto.

 

A programação do curso foi composta por aulas, palestras e mesas-redondas que abordaram assuntos como: a atual situação política e econômica do mundo, visão política dos direitos humanos (antropológica, sociológica e filosófica), 'Democracia Sobrante', Democracia e as crises que ela vem enfrentando no mundo e o exemplo do Brasil com o processo de impeachment vivido em 2016. Alguns nomes de renome mundial marcaram presença no curso: o sindicalista e professor de Direito, Antônio Baylos Grau; Professor e Membro da Comissão de Direitos Humanos, em Buenos Aires, Manuel Eugenio Gándara Carballido; Professor Antonio Carlos Wolkmer; o Politólogo, Juan Carlos Monedero; professor da Universidade Autônoma de Madrid, Carlos Taibo; a ex-Presidente do Brasil, Dilma Rousseff e o ex-Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

 

Conhecimentos

Segundo Dayusa Souza, acadêmica de Direito da Uniguaçu, a experiência de participar de um curso internacional é muito importante para sua carreira. “Uma das coisas que mais me chamou a atenção foram os temas tratados, pois eram de grande relevância mundial e sempre faziam uma ponte com os direitos humanos. Além do curso ser aberto para estudantes de outros países, o que deixava ainda mais profunda as reflexões, além dos alunos apresentarem seus pontos de vista a partir da vivência de seus países”, analisa a acadêmica.

 

A acadêmica Mirela Ohpis ainda complementa que o curso a fez compreender melhor a teoria crítica dos Direitos Humanos, mudando sua forma de enxergar o Direito. “Mudou a minha postura de enxergar o Direito e a minha vontade de mudar as coisas e ser mais uma pessoa lutando pelos direitos humanos, pelos direitos das pessoas. Voltei com muita vontade de trabalhar nessa área. Foi incrível a oportunidade que a Uniguaçu proporcionou aos acadêmicos”, frisa.

 

Um dos pontos mais interessantes para a acadêmica Patrícia Albuquerque foi a reflexão feita pelo professor Manuel Eugenio Gándara Carballido, a qual ele relata que a Declaração dos Direitos Humanos deveria ser efetiva na prática, como uma visão mundial e não como uma visão ocidental e que se aplica ao mundo inteiro. “O problema é a completude das concepções de correto. Cada cultura enfrenta suas dificuldades da maneira que acha correto, busca respostas com base nas suas concepções. O que não é universal, não se pode declarar como tal com base em uma cultura”, ressalta.

 

Antes do convênio, em 2014, os acadêmicos participaram do curso vinculados à UniBrasil. As inscrições para quem deseja participar em 2018, abrem no segundo semestre. Os interessados precisam escrever um projeto de pesquisa com temas relacionados a “Direitos Humanos”. 

 

Serviço: 

Para mais informações é possível entrar em contato com o professor responsável, João Vitor Passuello Smaniotto, pelo e-mail: prof_joaovitor@uniguacu.edu.br. “Não é um curso de Direito, é um curso de Direitos Humanos e isso faz parte da vida das pessoas, não só da área jurídica. O curso não tem um foco normativo, um corte judiciário. Ele tem um corte social, antropológico, social, filosófico, político e claro, jurídico”, finaliza.

 

* Com fotos e informações da Assessoria de Comunicação / Dep. de Comunicação e Marketing da Uniguaçu

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 por Rádio FM 95 Stereo LTDA | União da Vitória - PR - CEP:84600-170 | Fone: (42)3523-9649 - WhatsApp: (42)98431-3268